quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Descoberta a sinistra intenção da Comissão Europeia!...

DESCOBERTA A SINISTRA INTENÇÃO

DA UNIÃO EUROPEIA: À SOCAPA E COM UM PROGRAMA 
OCULTO QUEREM PRIVATIZAR A SEGURANÇA SOCIAL ALÉM DE 

 
SERVIÇOS PÚBLICO CLique aqui!

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Vitor Gaspar, um grande "especialista", certo, mas na ajuda ao seu lobby!...

Vítor Gaspar é, certamente, um grande "economista", um grandessíssimo "especialista"...no que toca a ajudar os seus amigaços do "Grande Lobby Internacional" e será brevemente recompensado com um alto cargo no BCE ou outro...Será mesmo até "impressive" (isto é, na nossa leitura nacional, alguém que a História de Portugal não esquecerá...)
Mas um pequeno autarca, ao que parece minimamente sério, dá-lhe uma grande lição, ouçam aqui a lição (certamente que o Vítor não a terá em conta...)


Parece-me que o futuro Primeiro-Ministro deveria saber fazer o que este faz...
http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=605012&tm=8&layout=123&visual=61
http://aventar.eu/2012/11/23/castro-almeida-a-primeiro-ministro/
AZ
 

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Vitor Gaspar «é impressionante», diz o chefe do FMI em Portugal!...E não é que ele tem razão!?

O Gaspar é um gajo porreiro. Até nos "deixa" deduzir 250 euros, correspondente a 5% do IVA pago em
a) Manutenção e reparação de veículos automóveis;
b) Manutenção e reparação de motociclos, de peças e acessórios;
c) Alojamento e similares;
d) Restauração e similares;
e) Atividades de salões de cabeleireiro e institutos de beleza.
Ora para que 5% do IVA pago perfaça 250 euros, basta apenas 26.739,13€ de facturas de cabeleireiros, restaurantes, oficinas, etc, o que é a coisa mais natural deste mundo...
(26.739,13 : 1,23 = 21.739,13, donde 21.739,13 x 23% = 5.000€, sendo que 250€ são 5% de 5.000€)
Ora dividindo 26.739,13€ por 12 meses, mostra que teremos de gastar, em média, 2.228,26€ por mês. O que daí sobrar do nosso ordenado dará para alimentação, renda da casa, saúde, vestir, calçar, gasolina, seguros, água, gás, electricidade, telefone, etc.
Obrigado, Sr. Ministro e Sr. Director-Geral da ATA. Com esta brilhante e eficaz medida, a minha vida nunca mais será a mesma. Como disse hoje no Jornal de Notícias o chefe do FMI em Portugal, Abebe Selassie, «Vitor Gaspar é impressionante». Não sei bem o que esta frase quererá dizer, pois poderia ter respondido, «é muito competente», «está a levar o país a bom porto, etc, mas não, apenas diz «é impressionante»...E não é que é mesmo, deveras!

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Xeque-mate a Portugal: um artigo de Jacques Amaury, sociólogo francês


[O título foi escolhido por mim, AZ]

SOCIÓLOGO E FILÓSOFO FRANCÊS, ACERCA DE PORTUGAL
Um artigo de Jacques Amaury, sociólogo e filósofo francês, professor na
Universidade de Estrasburgo.
"Portugal atravessa um dos momentos mais difíceis da sua história que terá
que resolver com urgência, sob o perigo de deflagrar crescentes tensões e
consequentes convulsões sociais.
Importa em primeiro lugar averiguar as causas. Devem-se sobretudo à má
aplicação dos dinheiros emprestados pela CE para o esforço de adesão e
adaptação às exigências da união.
Foi o país onde mais a CE investiu "per capita" e o que menos proveito retirou.
Não se actualizou, não melhorou as classes laborais, regrediu na qualidade da educação,
vendeu ou privatizou mesmo actividades primordiais e património que poderiam
hoje ser um sustentáculo.
Os dinheiros foram encaminhados para auto-estradas, estádios de
futebol, constituição de centenas de instituições público-privadas,
fundações e institutos, de duvidosa utilidade, auxílios financeiros a
empresas que os reverteram em seu exclusivo benefício, pagamento a
agricultores para deixarem os campos e aos pescadores para venderem
as embarcações, apoios estrategicamente endereçados a elementos ou a
próximos deles, nos principais partidos, elevados vencimentos nas classes
superiores da administração pública, o tácito desinteresse da Justiça
frente à corrupção galopante e um desinteresse quase total das Finanças no
que respeita à cobrança na riqueza, na Banca, na especulação, nos grandes
negócios, desenvolvendo, em contrário, uma atenção especialmente
persecutória junto dos pequenos comerciantes e população mais pobre.
A política lusa é um campo escorregadio onde os mais hábeis e corajosos
penetram, já que os partidos cada vez mais desacreditados, funcionam
essencialmente como agências de emprego que admitem os mais
corruptos e incapazes, permitindo que com as alterações governativas
permaneçam, transformando-se num enorme peso bruto e parasitário.
Assim, a monstruosa Função Publica, ao lado da classe dos professores,
assessoradas por sindicatos aguerridos, de umas Forças Armadas
dispendiosas e caducas, tornaram-se não uma solução, mas um factor de peso
nos problemas do país.
Não existe partido de centro já que as diferenças são apenas de retórica,
entre o PS (Partido Socialista) e o PSD (Partido Social Democrata), de
direita, agora mais conservador ainda, com a inclusão de um novo líder,
que tem um suporte estratégico no PR e no tecido empresarial abastado
Mais à direita, o CDS (Partido Popular), com uma actividade assinalável, mas
com telhados de vidro e linguagem pública, diametralmente oposta ao que os
seus princípios recomendam e praticarão na primeira oportunidade.
À esquerda, o BE (Bloco de Esquerda), com tantos adeptos como o anterior,
mas igualmente com uma linguagem difícil de se encaixar nas recomendações
ao Governo, que manifesta um horror atávico à esquerda, tal como a
população em geral, laboriosamente formatada para o mesmo receio.
Mais à esquerda, o PC (Partido comunista) menosprezado pela comunicação
social, que o coloca sempre como um perigo latente e uma extensão
inspirada na União Soviética, oportunamente extinta, e portanto longe das
realidades actuais.
Assim, não se encontrando forças capazes de alterar o status, parece que a
democracia pré-fabricada não encontra novos instrumentos.
Contudo, na génese deste beco sem aparente saída, está a impreparação,
ou melhor, a ignorância de uma população deixada ao abandono, nesse
fulcral e determinante aspecto. Mal preparada nos bancos das escolas, no
secundário e nas faculdades, não tem capacidade de decisão, a não
ser a que lhe é oferecida pelos órgãos de Comunicação. Ora e aqui está o
grande problema deste pequeno país; as TVs as Rádios e os Jornais, são
na sua totalidade, pertença de privados ligados à alta finança, à
industria e comercio, à banca e com infiltrações accionistas de vários
países.
Ora, é bem de ver que com este caldo, não se pode cozinhar uma
alimentação saudável, mas apenas os pratos que o "chefe" recomenda.
Daí a estagnação que tem sido cómoda para a crescente distância entre
ricos e pobres.
A RTP, a estação que agora engloba a Rádio e TV oficiais, está dominada
por elementos dos dois partidos principais, com notório assento dos
sociais-democratas, especialistas em silenciar posições esclarecedoras e
calar quem levanta o mínimo problema ou dúvida. A selecção dos
gestores, dos directores e dos principais jornalistas é feita
exclusivamente por via partidária. Os jovens jornalistas, são
condicionados pelos problemas já descritos e ainda pelos contratos a
prazo determinantes para o posto de trabalho enquanto, o afastamento
dos jornalistas seniores, a quem é mais difícil formatar o processo a pôr
em prática, está a chegar ao fim. A deserção destes, foi notória.
Não há um único meio ao alcance das pessoas mais esclarecidas e por
isso, "non gratas" pelo establishment, onde possam dar luz a novas
ideias e à realidade do seu país envolto no conveniente manto diáfano
que apenas deixa ver os vendedores de ideias já feitas e as cenas
recomendáveis para a manutenção da sensação de liberdade e da prática
da apregoada democracia.
Só uma comunicação não vendida e alienante, pode ajudar a população, a
fugir da banca, o cancro endémico de que padece, a exigir uma justiça mais
célere e justa, umas finanças atentas e cumpridoras, enfim, a ganhar
consciência e lucidez sobre os seus desígnios.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Carta publicada no facebook por Carlos PAz, e dirigida ao Presidente CS

Carta publicada no Facebook, por Carlos Paz

Meu caro Ilustre Prof. CAVACO SILVA,

Tomo a liberdade de me dirigir a V. Exa., através deste meio
[o Facebook], uma vez que o Senhor toma a liberdade de se dirigir a mim da mesma forma.
É, aliás, a única maneira que tem utilizado para conversar comigo (ou com qualquer dos outros Portugueses, quer tenham ou não, sido seus eleitores).

Falando de eleitores, começo por recordar a V. Exa., que nunca votei em si, para nenhum dos cargos que o Senhor tem ocupado, praticamente de forma consecutiva, nos últimos 30 anos em Portugal (Ministro das Finanças, Primeiro Ministro, Primeiro Ministro, Primeiro Ministro, Presidente da
República, Presidente da República).

No entanto, apesar de nunca ter votado em si, reconheço que o Senhor:
1) Se candidatou de livre e espontânea vontade, não tendo sido para isso coagido de qualquer forma e
foi eleito pela maioria dos eleitores que se dignaram a comparecer no acto eleitoral;
2) Tomou posse, uma vez mais, de livre vontade, numa cerimónia que foi PAGA POR MIM (e por todos
os outros que AINDA TINHAM, nessa altura, a boa ventura de ter um emprego para pagar os seus
impostos);
3) RESIDE NUMA CASA QUE É PAGA POR MIM (e por todos os outros que AINDA TÊM a boa ventura de
ter um emprego para pagar os seus impostos);
4) TEM TODAS AS SUAS DESPESAS CORRENTES PAGAS POR MIM (e pelos mesmos);
5) TEM TRÊS REFORMAS CUMULATIVAS (duas suas e uma da Exma. Sra. D. Maria) que são PAGAS por
um sistema previdencial que é alimentado POR MIM (e pelos mesmos);
6) Quando, finalmente, resolver retirar-se da vida política activa, vai ter uma QUARTA REFORMA
(pomposamente designada por subvenção vitalícia) que será PAGA POR MIM (e por todos os outros
que, nessa altura, AINDA TIVEREM a boa ventura de ter um emprego para pagar os seus impostos).

Neste contexto, é uma verdade absoluta que o Senhor VIVE À MINHA CUSTA (bem como toda a sua família directa e indirecta).

Mais: TEM VIVIDO À MINHA CUSTA quase TODA A SUA VIDA.

E, não me conteste já, lembrando que algures na sua vida profissional:
a) Trabalhou para o Banco de Portugal;
b) Deu aulas na Universidade.

Ambos sabemos que NADA DISSO É VERDADE.

BANCO DE PORTUGAL: O Senhor recebia o ordenado do Banco de Portugal, mas fugia de lá, invariavelmente com gripe, de cada vez que era preciso trabalhar. Principalmente, se bem se lembra (eu lembro-me bem), aquando das primeiras visitas do FMI no início dos anos 80, em que o Senhor se fingiu doente para que a sua imagem como futuro político não ficasse manchada pela associação ao processo de austeridade da época. Ainda hoje a Teresa não percebe como é que o pomposamente designado chefe do gabinete de estudos NUNCA esteve disponível para o FMI (ao longo de MUITOS meses. Grande gripe essa).

Foi aliás esse movimento que lhe permitiu, CONTINUANDO A RECEBER UM ORDENADO PAGO POR MIM (e sem se dignar sequer a passar por lá), preparar o ataque palaciano à Liderança do PSD, que o levou com uma grande dose de intriga e traição aos seus, aos vários lugares que tem vindo a ocupar (GASTANDO O MEU DINHEIRO).

AULAS NA UNIVERSIDADE: O Senhor recebia o ordenado da Universidade (PAGO POR MIM). Isso é verdade. Quanto ao ter sido Professor, a história, como sabe melhor que ninguém, está muito mal contada. O Senhor constava dos quadros da Universidade, mas nunca por lá aparecia, excepto para RECEBER O ORDENADO, PAGO POR MIM. O escândalo era de tal forma que até o nosso comum conhecido JOÃO DE DEUS PINHEIRO, como Reitor, já não tinha qualquer hipótese de tapar as suas TRAPALHADAS. É verdade que o Senhor depois o acabou por o presentear com um lugar de Ministro dos Negócios Estrangeiros, para o qual o João tinha imensa apetência, mas nenhuma competência ou preparação.

Fica assim claro que o Senhor, de facto, NUNCA trabalhou, poucas vezes se dignou a aparecer nos locais onde recebia o ORDENADO PAGO POR MIM e devotou toda a vida à sua causa pessoal: triunfar na política.

Mas, fica também claro, que o Senhor AINDA VIVE À MINHA CUSTA e, mais ainda, vai, para sempre, CONTINUAR A VIVER À MINHA CUSTA.

Sou, assim, sua ENTIDADE PATRONAL.

Neste contexto, eu e todos os outros que O SUSTENTÁMOS TODA A VIDA, temos o direito de o chamar à responsabilidade:
a) Se não é capaz de mais nada de relevante, então: DEMITA-SE e desapareça;
b) Se se sente capaz de fazer alguma coisa, então: DEMITA O GOVERNO;
c) Se tiver uma réstia de vergonha na cara, então: DEMITA O GOVERNO e, a seguir, DEMITA-SE.

Aproveito para lhe enviar, em nome da sua entidade patronal (eu e os outros
PAGADORES DE IMPOSTOS), votos de um bom fim de semana.

Respeitosamente,
Carlos Paz

domingo, 18 de novembro de 2012

Quem são os responsáveis pela dívida pública de Portugal?


Caros concidadãos,

Há que apurar responsabilidades! Há que conhecer os responsáveis por esta calamitosa situação, de toda uma milenar nação ser obrigada a pagar uma dívida pela qual não é responsável e que lhes traz miséria e adia o tão merecido progresso, que de facto foi congeminada pelos corruptos "governantes" desta nação desde a governação de Mário Soares, gastadores e irresponsáveis, e que representa, in fine, o mais gravoso crime contra a nação!

-dívida social;
-desestabilização macroeconómica;
-desmantelamento do aparelho produtivo;
-degradação do tecido social;
-deterioração político-institucional do Estado;
-Estado sob a alçada de potências estrangeiras.

Este blogue é um LIVRO NEGRO e um libelo contra esta situação, uma biblioteca online para futura consulta por quem se queira inteirar destes trágicos anos perdidos (!), uma acusação contra aos criminosos governos que impunemente destruiram-nos. Há que a organizar a Sociedade Civil a nível europeu, senão mesmo mundial, e criar tribunais próprios onde pela primeira vez na história se julgarão os políticos responsáveis pelos seus crimes impunes! Esperamos que um dia, todos os responsáveis sejam julgados, porque este crime jamais será olvidado pela população, pela memória histórica dos seus ilustres cidadãos!

Bem hajam!

AZ

sábado, 17 de novembro de 2012

ESTAMOS PERDIDOS, CONFUSOS E MANIPULADOS!!! PORTUGAL ACORDA!

 
 
A nossa luta deveria ser contra a corrupção!!!
As greves, deveriam ser contra a corrupção.
O nosso ódio deveria ser contra os corruptos
As nossas manifestações deveriam ser para acabar com a corrupção
A nossa revolta e indignação deveria ser contra os que nos saqueiam à décadas

Mas o povo distrai-se facilmente...
Deixa-se conduzir pelos infiltrados, que querem fazer crer a tudo e todos que acabar com a troika ou com a Merkel resolverá todos os problemas dos portugueses.
ACORDEM... CARAMBA ... FOQUEM-SE, CONCENTREM-SE.
Deixemos-nos de carneiradas... os políticos de todos os quadrantes, querem distrair o povo do real problema - A CORRUPÇÃO DELES. Querem que o povo deixe de reparar na vergonha que eles fazem ao país e irão continuar a fazer, porque todos se distraem facilmente, e esquecem o que eles fizeram, fazem e continuarão a fazer- arruínam as finanças, esbanjam os nossos impostos, abusam do poder e compram a justiça.

Ouçam Medina Carreira, Paulo Morais, Marinho Pinto, José Gomes Ferreira, Caiado Guerreiro, a crise é PROVOCADA PELA CORRUPÇÃO...
Esqueçam a Merkel, a Troika, esses estão em Portugal a convite, para emprestar dinheiro aos corruptos que já não possuem dinheiro para pagar as contas e os juros aos amigos da banca. Quem os chamou? Quem nos obrigou a pedir dinheiro emprestado? FORAM ANOS E ANOS DE CORRUPÇÃO QUE OS PORTUGUESES TEIMAM EM DEIXAR CONTINUAR.

Será assim tão difícil concentrarem-se para proteger o vosso país?
Já chega de distracções, somos meninos da escola? Temos que mostrar que sabemos a verdade, que já a conhecemos, que a abominamos e estamos decididos a acabar com ela... Só assim é que conseguiremos obter respeito por parte dos desavergonhados que fazem de nós otários - os políticos.
Como querem que eles tenham medo de roubar, de enganar, de mentir, de manipular? Se os portugueses se distraem e esquecem tudo que eles fazem? Como querem que eles respeitem os vossos impostos e os vossos direitos se vocês os esquecem facilmente, basta acenar com fotografias da Merkel nua, ou em bikini, ou vestida de Hitler, e todos esquecemos os nossos direitos e os nossos impostos???

E sim já sei que vão dizer que os alemães não são nenhuns santinhos, cobram juros, são maus e ricos... e então? Eu disse o contrário? Eles cobram juros porque a corrupção nos levou a cair nas mãos deles. Eles estão ricos porque não permitem corruptos a roubar os impostos, nos seus países.
Não são nenhuns santinhos... ainda bem para eles, sabem defender-se ao contrário dos portugueses... que por todo lado são apregoados como os santinhos (OTÁRIOS) que aguentam tudo.
Pois aguentam... e vão ter que aguentar o ano de 2013 com muito mais miséria, mais fome, mais mortes de idosos, mais desemprego porque com a visita estratégica da Merkel, todos se esqueceram de se opor ao OE de 2013. Já todos se esqueceram da tragédia que vai ser o 2013, com os salários a voltarem a descer e as empresas a falir em massa.
E não se esqueçam que os países da Europa, que não admitem corrupção e estão a salvo, prevenidos já deram inicio ao encerramento das fronteiras. Por isso nem a emigração será alternativa.
Talvez aí se lembrem da frase que circula na internet.
"Há-de chegar o dia que os pobres não terão mais nada para comer, para além dos ricos" E talvez ai se lembrem do Sócrates, do Passos Coelho, do Relvas, do Vítor Constâncio, do Paulo Campos, do Paulo Portas, do Cavaco... etc etc etc etc etc etc etc etc e esqueçam a Merkel...

A CULPA É DA MERKEL QUE GERIU MAL OS IMPOSTOS DOS PORTUGUESES
A CULPA É DA MERKEL QUE INVENTOU O BPN
A CULPA É DA MERKEL QUE ACEITOU OS CONTRATOS RUINOSOS DAS PPP
A CULPA É DA MERKEL QUE "DOOU" O EMPRÉSTIMO DA TROIKA À BANCA
A CULPA É DA MERKEL QUE ELEGE CORRUPTOS E CRIMINOSOS PARA GOVERNAR PORTUGAL
A CULPA É DA MERKEL QUE EMPRESTOU DINHEIRO PARA OS CORRUPTOS TAPAREM OS BURACOS DA CORRUPÇÃO E MÁ GESTÃO
A CULPA É DA MERKEL QUE DÁ ORDENS CLARAS AO GOVERNO PARA NÃO CORTAR NOS LUXOS E CORTAR NOS POBRES
ILUDIDOS OU MANIPULADOS? BASTA!!!!


Paulo Morais... Portugueses alerta, má gestão e corrupção, afundam o nosso país
"Bode expiatório
A fúria que muitos sentem relativamente à chanceler alemã Angela Merkel é compreensível. Mas não foi Angela Merkel a responsável pelo estado a que chegámos, pela crise em que nos mergulharam, pelo enorme endividamento das famílias ou pelos esquemas de corrupção que exauriram as contas públicas.

Foi Cavaco Silva, e não Merkel, que enquanto primeiro-ministro permitiu o desbaratar de fundos europeus em obras faraónicas e inúteis, desde piscinas e pavilhões desportivos sem utentes, ao desnecessário Centro Cultural de Belém.
Foi o seu ministro Ferreira do Amaral que hipotecou o estado no negócio da Ponte Vasco da Gama.
Foi António Guterres, e não Merkel, que decidiu esbanjar centenas de milhões de euros na construção de dez estádios de futebol. Foi também no seu tempo que se construiu o Parque das Nações, o negócio imobiliário mais ruinoso para o estado em toda a história de Portugal.
Foi Durão Barroso e o seu ministro da defesa Paulo Portas, que ocorreu o caso de corrupção na compra de submarinos a uma empresa alemã. E enquanto no país de Merkel os corruptores estão presos, por cá nada acontece.
Mas o descalabro maior ainda estava para chegar.
Os mandatos de José Sócrates ficarão para a história como aqueles em que os socialistas entregaram os principais negócios de estado ao grande capital. Concederam-se privilégios sem fim à EDP e aos seus parceiros das energias renováveis; celebraram-se os mais ruinosos contratos de parceria público-privada, com todos os lucros garantidos aos concessionários, correndo o estado todos os riscos.
O seu ministro Teixeira dos Santos nacionalizou e assumiu todos os prejuízos do BPN.
Finalmente, chegou Passos Coelho, que prometeu não aumentar impostos nem tocar nos subsídios, mas quando assumiu o poder, fez exactamente o contrário.
Também não é Merkel a culpada dessa incoerência, nem tão pouco é responsável pelos disparates de Vítor Gaspar, que não pára de subir taxas de imposto. A colecta diminui, a dívida pública cresce, a economia soçobra.
A raiva face aos dirigentes políticos deve ser dirigida a outros que não à chanceler alemã. Aliás, os que fazem de Angela Merkel o bode expiatório dos nossos problemas estão implicitamente a amnistiar os verdadeiros culpados. fonte

Ontem no programa Olhos nos olhos, o Dr Medina Carreira e disse e com razão.
As manifestações que se fizeram contra Merkel, deviam estar canalizadas para a porcaria de governos que ASSASSINOU O PAÍS e para os actuais que, para esconderem o desastre, insistem em medidas erradas e vergonhosas.Ou seja, continuam a roubar ao pobre para dar ao rico.

Medina Carreira... alerta "A Merkel não pode dar pão a uma casa que não o sabe distribuir !!
O cenário sobre o futuro do Estado Social não é positivo, mas Medina Carreira diz que é bem realista e comprova-o com dados. Na TVI24, no programa «Olhos nos Olhos», o antigo ministro das Finanças explicou que o crescimento das despesas sociais em relação ao crescimento económico e à cobrança de impostos tem-se tornado insustentável. Tanto que põe em causa o próprio estado social. fonte
«Quem desgraçou o país não foi a Alemanha. Foi o Governo anterior», defendeu Medina Carreira.
«O que me espanta é a ideia dela de que o que se está a fazer está bem quando está mal», argumentou, ainda. fonte

POR ISSO APELEM e DIVULGUEM - PORTUGUESES LUTEM CONTRA OS REAIS CULPADOS, todos unidos contra quem nos saqueia... EXIGIR CORTES NAS GORDURAS DOS PARASITAS E NÃO NO PÃO DOS TRABALHADORES. BASTA DE SACRIFICAR OS POBRES... EXIJAM QUE OS SACRIFÍCIOS SEJAM PARA TODOS!!

  • Educação: "Governo corta o triplo do que a troika mandou. "
  • SNS: "A ‘troika’ mandou cortar 550 milhões e o Governo cortou mais 650 milhões e este ano vai cortar mais”, sublinhou.
  • "Baixar TSU foi iniciativa do Governo, não da troika, diz chefe de missão do FMI." fonte

O governo é que não sabe fazer mais nada, senão cortar aos mais pobres. Não sabem mais, coitados... São novos, inexperientes, incompetentes e cobardes.
Que se lixe a Troika? Ou que se lixe a corrupção que semeia austeridade, para sempre? Todos deveríamos saber que a Troika não está por detrás de tanta austeridade nem tão pouco foi ela que arruinou o país. A Troika já afirmou que as medidas da TSU não foram exigência sua, mas do governo. A Troika mandou cortar nas PPP, nas fundações, na ADSE, nas offshores, nos benefícios fiscais, nas associações, nas despesas do governo, nos salários de luxo escondidos , nos boys... etc etc.
O governo já há muito que deveria ter começado a cortar nas gorduras e insiste em não o fazer, fintando a Troika... ofendendo os sacrifícios do povo. E fingindo que gorduras é o SNS, a CGA, o ensino, etc
Antes de escorraçar a Troika temos que escorraçar quem nos levou até ela, quem continua a engana-la, a ela e a nós.


Mais alguns artigos sobre o tema. A verdade da troika
Troika manda fechar fundações
Troika ao serviço da corrupção e incompetência
troika proíbe mas eles continuam
troika empresta governo distribui mal

VAMOS ACABAR COM A CORRUPÇÃO? DIVULGA....
Basta de desviar a atenção
Esqueçam as chemtrails
Esqueçam os iluminati
Esqueçam o Obama
Esqueçam os Extra terrestres
Esqueçam a Merkel e a troika
Esqueçam todas as distracções que oferecem na internet.
Concentrem-se no nosso problema - os políticos.
Depois de acabarmos com os corruptos e os nossos problemas internos, aí sim trataremos da saúde aos chemtrails, aos ET, aos Merkels, aos Obamas, etc etc ... até lá mostrem que somos capazes de resolver pequenos problemas e acabar com a nossa fome e miséria.





Há fome e miséria, mas há milhões para derreter nas autárquicas.
Posted: 13 Nov 2012 04:18 AM PST


A troika mandou reduzir ou acabar com as autarquias, mas as aves de rapina do dinheiro dos contribuintes, precisam que elas existam, pois é através delas que criam autênticos impérios de dinheiro e poder.
Por isso jamais permitiriam que o Governo acabasse com esta mamadeira, por onde se escapa tanto dinheiro do estado, para uma máfia bem organizada e instalada.
As autarquias estão de pedra e cal porque o governo não mostra a força necessária para contrariar os autarcas que tiveram a garra necessária para se opor, movidos pela ganancia.
Mas o povo ainda acredita que as autarquias trazem vantagens... ao contribuinte!!!!
Eleições autárquicas de 2013 vão custar 48,5 milhões de euros. fonte

Paulo Morais denuncia...
"O ano de 2013 vai ser dramático no plano económico, haverá maior desemprego, fome e miséria. Mas, mesmo assim, irão derreter-se milhões nas campanhas eleitorais autárquicas.
Nestas despesas não se poupa. O sistema de financiamento partidário tem muitos actores, vida própria e sustenta interesses poderosos.
Os maiores beneficiados nem sequer são os candidatos. São, em primeiro lugar, os angariadores de fundos. Estes irão junto dos construtores, promotores imobiliários e, duma forma geral, dos maiores empresários de cada concelho; recolhem uns milhares e entregam uma parte aos partidos. Retêm cerca de quarenta por cento, o que é uma margem aliciante. O protótipo deste personagem é conhecido, tipo viscoso mas bem vestido que prolifera na política. Transporta milhares de euros em maços de notas, dentro de caras pastas de couro.
Os políticos, em geral, também não se queixam do sistema. Afinal, receber milhões em "cash" dá muito jeito. Não faltará dinheiro para as campanhas, poder-se-á pagar jantares a milhares de idosos devidamente angariados nos lares; as juventudes partidárias disporão de camionetas para transportar os rebanhos de apoiantes, não haverá restrições nas campanhas para presidentes de câmara.
As direcções nacionais dos partidos nada farão nem impedirão estas negociatas. Também elas se servem dos mesmos mecanismos. Quem transforma as suas sedes nacionais em autênticos "offshores", quem armazena milhões de euros em notas – não tem autoridade para moralizar as suas secções regionais e locais. Nem mesmo os financiadores querem mudar o sistema.
São eles, aliás, os seus maiores beneficiários. Os que pagam são os que mais ganham, recebendo em favores do estado. Obras públicas serão pagas pelo dobro do seu valor, a gestão de água e saneamento será concessionada por rendas milionárias, projectos imobiliários irão ser ilegalmente aprovados, terrenos rurais serão reclassificados como urbanizáveis e gerarão margens de mil por cento. Os financiadores beneficiam dum retorno garantido e colossal. Reféns destes mecanismos perversos de financiamento partidário, os autarcas estão a soldo de quem lhes paga as campanhas. E o poder local, uma vez corrompido, já deixou de ser democrático." Paulo Morais
A lei que permite o regabofe...

Comentário de um seguidor do blog
"Muitas autarquias neste país são autênticas MÁFIAS.
Funcionam em sincronia com algumas repartições de finanças para através de esquemas burocráticos complexos, cautelosamente preparados, aparentemente insuspeitos e que se encaixam perfeitamente numa legislação cheia de lacunas, poderem lançar um cerco traiçoeiro a cidadãos menos protegidos ou informados, despojando-os totalmente do seu património imobiliário em prol dos apetites gananciosos de outrem.
Tudo isto a favor de interesses privados muito obscuros de construtores, imobiliárias e outros, que com eles pactuam e dos quais obtêm enormes proveitos.
Estes interesses existem abundantemente neste país e não só envolvem políticos como também técnicos e algum pessoal menor dos Municípios. Para funcionar com eficiência têm de ter ''equipas'' que abrangem todos os níveis e sectores.
Geralmente, este tipo de autênticas quadrilhas mal intencionadas, para conseguir chegar aos seus perniciosos objetivos envolve a ajuda de outros elementos corruptos dos necessários departamentos do estado, para que o sucesso final da pilhagem possa ser garantida.Quando as vitimas se apercebem já é demasiado tarde.
Como a justiça é ineficaz, cara ou totalmente viciada, a vítima tenta sair da situação em que o envolveram, procurando encontrar uma saída que evite os tribunais que só lhe darão mais alguns cabelos brancos, arruinarão por alguns anos a sua saúde e o desgastarão psicologicamente sem que, após tanto sacrifício tenha a garantia de que seja feita justiça, mas se optar pela defesa da sua dignidade correrá um enorme risco de perder a sua propriedade.
Os mafiosos estão sempre bem preparados para as previsíveis situações: Se as coisas lhes correrem mal, imediatamente será preparado outro mecanismo ''legal''que se encontra em standby para o efeito, de forma a obrigar a vítima a ceder.
Isto é o dia a dia nesta nossa querida terra de costumes brandos, de pessoas com higiénicos colarinhos brancos e de aparência cristã e angélica que simplesmente a usam como camuflagem e que, embora estes casos sejam sobejamente conhecidos pela maior parte dos deputados no nosso parlamento, nada até agora foi alterado na legislação no sentido de que seja possível pôr fim a este terrível fenómeno de forma a evitar estas ou outras situações que possam pôr em risco a segurança do património de cidadãos honestos. São autênticas burlas e pilhagens a que toda a gente estará sujeita se tiver património imobiliário em áreas de lucrativo interesse urbanístico.
É aparente que muitos destes negócios obscuros envolve imobiliárias, construtoras que com estas autarquias plenamente colaboram e pactuam e que por este país abundantemente proliferam sem qualquer resistência.
Raramente são fiscalizadas. Todos sabemos bem porquê e quem muito ganha com isso mas dificilmente o poderemos provar para que justiça seja feita.Assim funcionam as máfias.
Alguma vez se questionou seriamente a origem da riqueza de muitos presidentes de câmara vereadores e técnicos, dos municípios deste país? Uma pequena alteração na Constituição era o suficiente para o fazer!" Artigo onde foi colocado este comentário.

Medina Carreira, afirma que o governo deveria ser firme para salvar o país, há que acabar com as autarquias e não só.
Alguns exemplos da (in)utilidade das câmaras e autarquias
O império Bracarense
A família de Loures
Os negócios de luxo
Celorico de Bastos
A incompetência que nos leva à falência
Mais despesismo
E Viva os Isaltinos, os Loureiros, os Jardins e por aí fora.

Mas o povo gosta, o povo gosta de saber que, já que todos roubam então também eles querem ter um a roubar para eles e elegem os mais famosos pelos seus desvios e suspeitas. Escolhem os melhores entre os melhores. Escolhem os cadastrados, e que possuem verdadeiros impérios de origem desconhecida, escolhem os que ajudam a falir Portugal.
Escolhem os que reincidem, e roubam de novo, e prescrevem, e recorrem e voltam a roubar e o povo vota e gosta, delira... "- Este sacana é do melhor!!!"
Algumas denuncias deixadas aqui no blog:
Anónimo 01 Novembro, 2012
Existem casos levados da breca. Na Câmara de Almada, o estacionamento subterrâneo pertence à filha da Presidente da Câmara.
No Seixal, a empresa encarregue das limpezas das ruas e jardins pertencem igualmente ao filho do presidente. Um abraço
Olha, e deviam também investigar as viagens do presidente da Câmara de Loures e da mulher e dos vereadores e dos administradores dos SMAS. O presidente e a primeira dama então, há mais de um ano que é semana cá, semana lá.
Ainda um destes dias gastaram cerca de 30 mil euros numa viagenzita à Coreia do Sul (com passagem pela Tailândia, vá-se lá saber porquê...)
Acho que deviam de investigar as parcerias da Câmara Municipal do Seixal com a empresa Os Silvas. Como é possível uma autarquia rica em terrenos deixar os mesmos ao abandono e ir construir duas infraestruturas nos terrenos desses srs e estar a pagar rendas de vários milhares de euros mensais. Dá que pensar. Um municipe preocupado.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Dívida Pública (de 1850 aos nossos dias)

Dívida Pública
Um gráfico que todos deveriam ter presente quando ficam sem subsídios ou pagam altos impostos...
 
 
Reparem :
- Vejam o que Mário Soares fez ao Endividamento Português. Recebeu de Salazar e Marcello Caetano 14% do PIB e passou para quase 60% do PIB !!!
- Depois, durante a responsabilidade de Cavaco e de governos PSD/CDS , a dívida foi-se mantendo abaixo da fasquia aconselhada pelos economistas de 60%.
- Eis quando sai da cartola essa ave rara que acha que as dívidas não são para pagar! Quando foi derrotado nas eleições em 2011, o Prof. Dr. Eng. Sócrates entregou um endividamento acima dos 120% do PIB !!!! Os mercados deixaram de emprestar, e o país em bancarrota chamou pela troika!
(Como se gasta tanto dinheiro em tão pouco tempo? PPP, SCUT, Magalhães, 13,6 Milhões em viaturas, consentimento dos roubos no BPP e no BPN... e até um desvio de 383 milhões de euros para um off-shore de Gibraltar em nome do “ GRANDE INVESTIDOR DO PAÍS” !
Será que cada vez que há um governo PS a divida pula eavança? Em 2010 o deficit era de cerca de 10%
E com este governo como será? Dizem que vai chegar aos 124% no fim da legislatura. Mas e o deficit de quanto será? Inferior? O mesmo ? superior ? Veremos.
 

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

As verbas para o golfe dos deputados da Assembleia da República vão manter-se em 2013.

[Mais uma amostra da falta de moralidade do Regime. Como podemos confiar? AZ]

As verbas para o golfe dos deputados da Assembleia da República vão manter-se em 2013.

O Orçamento da Assembleia da República para 2013 vai manter as verbas destinadas à Associação de ex-Deputados e Grupo Desportivo para a organização de eventos desportivos, nomeadamente torneios de golfe.
Estas entidades receberam em 2012 cerca de 57 mil euros tendo organizado um torneio de golfe na Quinta da Marinha.
Segundo o Correio da Manhã, que cita uma fonte do Conselho de Administração, o documento do Orçamento da Assembleia da República para 2013 vai ser concluído esta semana e, apesar dos cortes significativos previstos, vai manter as dotações para a Associação de ex-Deputados (que recebeu 42,5 mil euros em 2012) e o Grupo Desportivo Parlamentar (que recebeu 15,2 mil euros).
Fonte da secretária-geral da Assembleia da República, afirmou ao referido diário que as entidades «são associações privadas sem fins lucrativos, que beneficiam de instalações cedidas pela AR e de apoio financeiro para as suas actividades».
O diário avança ainda que o Conselho de Administração teve a preocupação de reduzir verbas em dotações com «números grandes» no próximo Orçamento da AR. Apesar dos cortes, a redução está longe da verificada em 2012 com a redução 27%.

sábado, 10 de novembro de 2012

O FMI e os seus erros sistemáticos

[Corre nas redes sociais. AZ]
 
“FMI: austeridade pode tornar-se “socialmente insustentável”
“Previsões: FMI reconhece que calculou mal o impacto da austeridade na economia”
Do jornal Público” de hoje, dia 9 de novembro de 2012:
“No relatório em que reviu em baixa as previsões para a economia mundial, o FMI começou a corrigir algumas contas: por cada euro de austeridade, a economia não cai 0,5 euros, mas sim entre 0,9 e 1,7 euros.
Ao fim de mais de dois anos de austeridade na Europa, com várias previsões de crescimento revistas em baixa, o Fundo Monetário Internacional (FMI) apresentou mais um mea culpa, algo que já se começa a tornar hábito na instituição.”
- Isto é candura, incompetência, imbecilidade ou investigação aplicada?
“Numa caixa intitulada "Estaremos a subestimar os multiplicadores orçamentais de curto prazo?", os responsáveis do Fundo tentam perceber porque é que as suas previsões (e também as de outras instituições) para a evolução das economias têm vindo a falhar durante esta crise.”
Por quanto mais tempo continuaremos a aceitar estas políticas do Gaspar, Cavaco, Jerónimo Martins, Isabel Jonet, Borges, Ulrich e outros quejandos?
 
 

Acordo Ortográfico- texto de José Manuel Fernandes

Assunto: ACORDO ORTOGRÁFICO - José Manuel Fernandes
Ora aí está! Bem observado! Nada mais simples.
Eu concordo. Assunto: ACORDO ORTOGRÁFICO - José Manuel Fernandes
Não deixem de ler este fabuloso texto sobre o Acordo Ortográfico. De rir até às lágrimas:

Tem-se falado muito do Acordo Ortográfico e da necessidade de a língua evoluir no sentido da simplificação, eliminando letras desnecessárias e
acompanhando a forma como as pessoas realmente falam .
Sempre combati o dito Acordo mas, pensando bem, até começo a pensar que este peca por defeito. Acho que toda a escrita deveria ser repensada, tornando-a
mais moderna, mais simples, mais fácil de aprender pelos estrangeiros .
Comecemos pelas consoantes mudas: deviam ser todas eliminadas .
É um fato que não se pronunciam .
Se não se pronunciam, porque ão-de escrever-se ?
O que estão lá a fazer ?
Aliás, o qe estão lá a fazer ?
Defendo qe todas as letras qe não se pronunciam devem ser, pura e simplesmente, eliminadas da escrita já qe não existem na oralidade .
Outra complicação decorre da leitura igual qe se faz de letras diferentes e das leituras diferentes qe pode ter a mesma letra .
Porqe é qe "assunção" se escreve com "ç" "ascensão" se escreve com "s" ?
Seria muito mais fácil para as nossas crianças atribuír um som único a cada letra até porqe, quando aprendem o alfabeto, lhes atribuem um único nome.
Além disso, os teclados portugueses deixariam de ser diferentes se eliminássemos liminarmente o "ç" .
Por isso, proponho qe o próximo acordo ortográfico elimine o "ç" e o substitua por um simples "s" o qual passaria a ter um único som .
Como consequência, também os "ss" deixariam de ser nesesários já qe um "s" se pasará a ler sempre e apenas "s" .
Esta é uma enorme simplificasão com amplas consequências económicas,designadamente ao nível da redusão do número de carateres a uzar.
Claro, "uzar", é isso mesmo, se o "s" pasar a ter sempre o som de "s" o som "z" pasará a ser sempre reprezentado por um "z" .
Simples não é? se o som é "s", escreve-se sempre com s. Se o som é "z" escreve-se sempre com "z" .
Quanto ao "c" (que se diz "cê" mas qe, na maior parte dos casos, tem valor de "q") pode, com vantagem, ser substituído pelo "q". Sou patriota e defendo a língua portugueza, não qonqordo qom a introdusão de letras estrangeiras.
Nada de "k" .Ponha um q.
Não pensem qe me esqesi do som "ch" .
O som "ch" será reprezentado pela letra "x".
Alguém dix "csix" para dezinar o "x"? Ninguém, pois não ?
O "x" xama-se "xis".
Poix é iso mexmo qe fiqa .
Qomo podem ver, já eliminámox o "c", o "h", o "p" e o "u" inúteix, a tripla leitura da letra "s" e também a tripla leitura da letra "x" .
Reparem qomo, gradualmente, a exqrita se torna menox eqívoca, maix fluida, maix qursiva, maix expontânea, maix simplex .
Não, não leiam "simpléqs", leiam simplex .
O som "qs" pasa a ser exqrito "qs" u qe é muito maix qonforme à leitura natural .
No entanto, ax mudansax na ortografia podem ainda ir maix longe, melhorar qonsideravelmente .
Vejamox o qaso do som "j" .
Umax vezex excrevemox exte som qom "j" outrax vezex qom "g"- ixtu é lójiqu?
Para qê qomplicar ? ! ?
Se uzarmox sempre o "j" para o som "j" não presizamox do "u" a segir à letra "g" poix exta terá, sempre, o som "g" e nunqa o som "j" .
Serto ?
Maix uma letra mud a qe eliminamox .
É impresionante a quantidade de ambivalênsiax e de letras inuteix qe a língua portugesa tem !
Uma língua qe tem pretensõex a ser a qinta língua maix falada do planeta, qomo pode impôr-se qom tantax qompliqasõex ?
Qomo pode expalhar-se pelo mundo, qomo póde tornar-se realmente impurtante se não aqompanha a evolusão natural da oralidade ?
Outro problema é o dox asentox.
Ox asentox só qompliqam !
Se qada vogal tiver sempre o mexmo som, ox asentox tornam-se dexnesesáriox .
A qextão a qoloqar é: á alternativa ?
Se não ouver alternativa, pasiênsia.
É o qazo da letra "a" .
Umax vezex lê-se "á", aberto, outrax vezex lê-se "â", fexado .
Nada a fazer.
Max, em outrox qazos, á alternativax .
Vejamox o "o": umax vezex lê-se "ó", outrax lê-se "u" e outrax, lê-se "ô" .
Seria tão maix fásil se aqabásemox qom isso !
qe é qe temux o "u" ?
Se u som "u" pasar a ser sempre reprezentado pela letra "u" fiqa tudo tão maix fásil !
Pur seu lado, u "o" pasa a suar sempre "ó", tornandu até dexnesesáriu u asentu.
Já nu qazu da letra "e", também pudemux fazer alguma qoiza : quandu soa "é", abertu, pudemux usar u "e" .
U mexmu para u som "ê" .
Max quandu u "e" se lê "i", deverá ser subxtituídu pelu "i" .
I naqelex qazux em qe u "e" se lê "â" deve ser subxtituidu pelu "a" .
Sempre. Simplex i sem qompliqasõex .
Pudemux ainda melhurar maix alguma qoiza: eliminamux u "til"
subxtituindu, nus ditongux, "ão" pur "aum", "ães" - ou melhor "ãix" - pur
"ainx" i "õix" pur "oinx" .
Ixtu até satixfax aqeles xatux purixtax da língua qe goxtaum tantu de
arqaíxmux.
Pensu qe ainda puderiamux prupor maix algumax melhuriax max parese-me qe exte breve ezersísiu já e sufisiente para todux perseberem qomu a
simplifiqasaum i a aprosimasaum da ortografia à oralidade so pode trazer vantajainx qompetitivax para a língua purtugeza i para a sua aixpansaum nu
mundu .
Será qe algum dia xegaremux a exta perfaisaum ?...


I porqe naum?...

 

Este é o Futuro que vos espera!...


Num mundo global doente a nível mental, é fácil antecipar o final do estado de coisas que o dito "Estado", ou os "Estados" (na verdade usurpadores), têm sistematicamente imposto à população.
E com que resultado? Pois bem, de forma gritante acentuam-se à nossa volta as desigualdades sociais, as famílias desagregam-se porque em casa sem dinheiro todos discutem e todos têm razão...; os amigos separam-se porque já não têm dinheiro para os encontros habituais; a fome já começou a grassar em famílias abaixo de um limiar da pobreza, mas também na classe média e média-alta, os cortes na alimentação já começaram; quem está doente não pode tratar-se, quem tem dentes para arranjar...assim ficam; quem tem urgência em operar vai deixando "ficar-se", literalmente; não há mecanismos para aumentar os meios de subsistência das famílias porque as famílias já deixaram praticamente de poupar e as que ainda poupam não o podem investir pelo risco que as coisas implicam na actualidade incerta; não há empréstimos da Banca pois esta ainda está a aforrar-se e a investir em negócios de alto valor acrescentado, nem uma tasca rasca é possível "montar" porque a ASAE está aí ao serviço dos grandes empreendimentos. E, no meio de tudo isto, lucros enormes são obtidos por grandes empresas, mesmo do Estado,...

O que não se sabe lá fora e nós próprios tendemos a olvidar, é que este "estado de coisas" está aí nas nossa vidas faz pelo menos 10 anos, com quedas sucessivas, sempre mais graves...Naturalmente, começam a partir os jovens, emigrando por outros lugares com perspectivas mais favoráveis, esvaziando ainda mais a nação de um futuro digno.

É óbvio que a continuação desta situação conduzirá a sociedade a fragmentações graves, ao colapso, e não será necessário esperar cinco anos (que é o que dizem irá durar, no mínimo, esta "crise" fabricada). Cada dia que passa, aumenta o risco de grupos organizados da população, desnorteados pelo corrupção galopante a que assistem todos os dias, com fome e sem nada a perder, comecem, também eles sistematicamente, perseguindo e abatendo um a um os corruptos impunes que tanto sofrimento têm vindo a alimentar nesta flagelada nação. As notícias vindo a lume ultimamente apontam para esse desenlace.

Na verdade, não haja ilusões, esta crise foi fabricada, é conduzida de modo a um grupo de gente obter lucros imorais. Porém, hoje em dia, o nível de informação de que dispomos é muito alto, a consciencialização da humanidade em geral é de tal ordem, que o tiro lhes poderá sair pela culatra. O esquema "deles" sempre foi, e continua sendo, "ver" até onde podem ir, até quando podem fechar as torneiras, e quando se dão conta de que estão a ir longe de mais, alteram as suas políticas.

O FMI mostra agora que segue bem essa estratégia, passando nos últimos dias a criticar os planos de austeridade na zona euro!!!...Política que eles próprios advogaram, impuseram! Neste palco maldito em que o mundo hoje se transformou, onde impera a mais alta vilaneza, predomina o coro organizado de gente obsessivamente tresloucada por dinheiro, e aqui na Europa a velha e Imperial Alemanha, com o esquema de empobrecimento forçado de determinados países mais frágeis do seu espaço geopolítico, de modo a que no futuro exerçam o papel dos "Bangladesh Europeus", e para onde eles possam deslocar indústrias de fraco valor tecnológico mas permitindo obter largos proveitos próprios, tal como a China faz em seu redor, sempre com o obsessivo fito de construir a "Grande Alemanha".

Enfim, a acreditar que existe de facto a Al-Qaeda, esta já perdeu a sua oportunidade de ganhar as simpatias ocidentais perseguindo os corruptos e gatunos pelo mundo fora, em lugar disso, põem bombas matando inocentes, uma estratégia muito suspeita...

Resta então a esperança que a Justiça ressuscite, e chegue um dia a julgar esta gente pelos Crimes contra a Humanidade que perpetraram (e continuam impunemente perpetrando) em Tribunais inspirados nos do Julgamentos de Nuremberg, com o risco de, se não o fizerem, fragilizarem o progresso da consciência colectiva (e já agora, com uma pitada de loucura, dando argumentos aos "Astronautas de outras Galáxias" para nos varrerem deste planeta e darem lugar a formas de vida mais nobres).

De outro modo, estou certo, surgirão de novo os heróis lendários, um Zé do Telhado, um Bolívar, um Zorro, ou mesmo um Spider-Man, enfim indivíduos com coragem física e mental para clamarem "CHEGA!", agindo em conformidade com a defesa da civilização!

Abrãao M. Zacuto